Rumba

O sofrimento revelava-se-lhe, no rosto de Fidélio pressentia-se um coração partido e no corpo algo quebrado pesava uma grande paixão não correspondida.
Riu-se da associação de palavras que voavam sobre a sua cabeça como as grandes flores amarelas que levemente caiam das árvores meio despidas e cobriam o chão.
Rhum, Rumba e Cuba, embora o rhum fosse mais forte, ele ainda teimava pensar em rumbas e rimas inofensivas ,até para o estado Cubano se presumiam inocentes estes termos.
Abria caminho entre folhas e flores até um instável cais de madeira podre, tão apodrecido como os governantes de Cuba, pensou ele, cambaleante.
De Madrugada no Outono de Havana , o mar das Caraíbas apesar de onírico e quase plano aquela hora da manhã, não lhe transmitia a tranquilidade que parecia desejar .Apesar de jovem, secretamente alimentava-se de paixões impossíveis e escrevia poemas secretos.
Ao vai e vem lento das ondas calientes do mar tropical, responde o corpo de Fidélio, numa vontade louca de naufragar ou de deixar fluir os sentidos e os desequilíbrios cadenciados, imitando o refluir das vagas tranquilas.
Desde que deixara Dolores no”Che “ Cientro Cultural de Dança ” na noite anterior, o tempo apenas aumentou a dor da rejeição, um sofrimento tão profundo como ainda não tinha sentido.
Ensaiavam , entre outras danças, a Rumba, desde crianças, mas só agora na adolescência ,sentiu aquele quimérico prazer de tocar ,com a ponta dos dedos a face de Dolores ao dançar, de acariciar, de a sentir respirar encostada ao peito, afastar-se (um e… dois) encostar de novo (três e…4) o corpo, mansamente contra o seu ,num arrebatamento voluptuoso e lento.
O pai de Dolores, homem importante na “nomenklatura” do partido acumulava, entre muitos, os cargos de presidente do “Che -Cientro Cultural de Dança” e Comissiones Obreras de Cuba , Fidélio escrevia para um jornal clandestino.
Tinha resolvido beijar longamente Dolores e fê-lo; …as consequências foram devastadoras, ela, com um movimento lento mas forte e enérgico derruba-o , num pavimento demasiado encerado, indo parar junto ao pai, que acabava de entrar no salão de baile.
Todas as atenções e todos os dedos espetados o pareciam apontar, até que este, num prodigioso salto foge e afoga-se devagar no rum por todos os bares e dancetarias de Havana.
O tempo abrandou a marcha na cidade quente de piratas e Al Capones , os bares musicais mantiveram-se abertos até tarde e a “ salsa ” ouve-se ,redonda ,ao longe, imitando o motor de velho carro americano e aumenta a mágoa que aperta o coração de Fidélio.
Aproximou-se decidido da amurada em madeira quebrada e seria este o epílogo, não viesse em seu auxílio uma mão delicada, num movimento leve e o salva de morte certa, era Dolores que mais uma vez suavemente encosta o corpo ao de Fidelio para mais uma rumba no “Che -Cientro Cultural de Dança”

J.Santos
Enviar um comentário

tradutor

center>

Licença creative commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ESTA OBRA ESTÁ LICENCIADA SOB UMA LICENÇA CREATIVE COMMONS. POR FAVOR NÃO USE AS IMAGENS EM WEBSITES, BLOGS NEM OUTROS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SEM MINHA PERMISSÃO EXPLÍCITA. © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS PLEASE DON'T USE THIS IMAGE ON WEBSITES, BLOGS OR OTHER MEDIA WITHOUT MY EXPLICIT PERMISSION. © ALL RIGHTS RESERVED